DETONATube | Youtube Plays 25

Atlético-MG 1 x 1 Palmeiras, Melhores Momentos – Série A 17/11/2016

Curtam nossa página: http://www.facebook.com/LeandroSportsVideos

Atlético-MG empata, dá adeus à taça, e Palmeiras pode ser campeão domingo. Menos um concorrente. Em uma noite na qual sofreu pressão, viu Jailson trabalhar e achou um gol em contra-ataque, o Palmeiras tirou um rival direto da disputa pelo título. Nesta quinta-feira, o Atlético-MG buscou o empate por 1 a 1 diante do líder do Campeonato Brasileiro, mas se despediu de qualquer chance de brigar pela taça.

O resultado de igualdade nesta 35ª rodada de competição deixou o clube mineiro com 61 pontos, dez a menos do que o Palmeiras; restam apenas três partidas para cada time antes do encerramento da temporada.

Apesar de eliminar mais um concorrente direto, o Palmeiras perdeu certo conforto na primeira colocação. A vantagem para o vice-líder Santos caiu para apenas quatro pontos; mesmo assim, o clube comandado por Cuca pode se consagrar campeão brasileiro depois de 22 anos já na próxima rodada.

O primeiro ‘match point’ do Palmeiras está agendado para domingo, às 17h (de Brasília), contra o Botafogo, no Allianz Parque. O Atlético-MG, sem chances de disputar o título nacional, volta a campo no mesmo dia, mas às 19h30, diante do rebaixado Santa Cruz, no Arruda.

Quem foi bem
Robinho Assim como no primeiro turno, Robinho encontrou mais uma atuação soberba diante do Palmeiras. Com uma liberdade surpreendente, o camisa 7 atleticano concentrou-se como cérebro ofensivo do time e gerou as principais chances de gols dos mandantes. Sai do jogo com uma assistência para Lucas Pratto.

Quem foi mal
Thiago Santos Muito da liberdade encontrada por Robinho ocorreu em virtude da noite infeliz de Thiago Santos. O meio-campista de características defensivas ganhou a vaga no time titular para parar justamente o veterano, mas não ‘achou’ o atleticano durante o duelo. Cuca precisou tirá-lo e recorrer a três zagueiros para segurar o adversário.

Aleluia! É Gabriel Jesus
Menos de 48h depois de decidir para a seleção brasileira o jogo contra o Peru – com um gol e uma assistência -, Gabriel Jesus tratou de quebrar o jejum de sete jogos sem balançar as redes pelo Palmeiras. Aos 25min da primeira etapa, o camisa 33 aproveitou contra-ataque para anotar o 12º gol nesta edição de Brasileirão.

Atlético-MG pressiona, pressiona e pressiona
O Atlético-MG implantou um ritmo intenso e acelerado durante a maior parte da partida no Horto. Diante de um Palmeiras acuado, a equipe de Marcelo Oliveira abusou da movimentação e pressionou o líder do Campeonato Brasileiro como poucos clubes na competição. Na etapa final, o time da casa praticamente atuou com quatro atacantes após a entrada de Lucas Pratto.

Primeiro tempo quente, e gol bem anulado
O público no Independência observou 45min iniciais de superioridade do Atlético-MG. A movimentação de Robinho e a liberdade dada a Maicosuel acuaram o Palmeiras, que por pouco não saiu atrás no marcador: a arbitragem anulou um gol dos donos da casa por impedimento. No primeiro contra-ataque bem armado, Dudu achou Gabriel Jesus, e os visitantes abriram o placar.

Palmeiras é letal
Durante a maior parte do confronto em Belo Horizonte, o Palmeiras sofreu com o ‘Galo Doido’. Entretanto, frio e calculista, o time comandado por Cuca conseguiu conter a intensidade atleticana. Quando resolveu sair, o clube alviverde se mostrou letal: no primeiro contra-ataque, Dudu deu a décima assistência na Série A para Jesus balançar as redes.

Leandro Donizete irrita até o banco palmeirense
A confusão entre Leandro Donizete e Gabriel Jesus repercutiu até no banco de reservas do Palmeiras. O volante atleticano, durante uma passagem ao lado da comissão técnica, foi alvo de um membro da delegação palmeirense, que arremessou um copo d’água na direção do camisa 8 do clube mineiro.

Marcelo Oliveira solta Robinho
Escalado pelo centro, o veterano Robinho encontrou espaço para jogar diante do líder do Campeonato Brasileiro. Assim como no primeiro turno, quando se destacou na vitória por 1 a 0, o camisa 7 centralizou a armação ofensiva atleticana e deu muito trabalho ao volante Thiago Santos, encarregado da marcação sobre o ex-atleta da seleção brasileira.

Com Robinho solto, o Galo é doido
A liberdade encontrada por Robinho, obviamente, beneficiaria o Atlético-MG em algum momento da partida. Depois de suportar toda a primeira etapa, o Palmeiras viu o camisa 7 ser decisivo logo no início do segundo tempo. Dos pés do atacante saiu um cruzamento na medida para Lucas Pratto empatar a partida.

Cuca é reverenciado na antiga casa
Antes de a bola rolar, o torcedor do Atlético-MG tratou de homenagear Cuca, campeão da Copa Libertadores de 2013 pelo clube alvinegro. Mesmo do outro lado nesta quinta, o treinador testemunhou torcedores dos dois clubes o reverenciarem. O comandante, geralmente emotivo, segurou a felicidade do momento para se concentrar no jogo. Deu certo.